Artigos

Aprenda com o tweet fail alheio

Que o Twitter e o mau uso da ferramenta já causaram algumas dores de cabeça por aí já é fato! Um canal de comunicação imediato, instantâneo, mas um tanto quanto perigoso. Diariamente acompanho comentários bem curiosos por lá, principalmente dos followers das marcas que gerencio. E muito me intriga o que essas pessoas faziam ou como faziam para ‘desabafar’ antes do seu surgimento.

Minha proposta hoje é: o que você viu que é #fail hoje no Twitter?

Se você segue perfis corporativos então é uma festa de fails! Muitas das marcas que acompanho, sigo apenas para analisar o que está sendo feito, confesso que às vezes é muito triste ver o que empresas de grande porte e reconhecimento até mundial falam no Twitter. E principalmente da falta de senso de oportunidade delas. E são dessas que tiro os comentários abaixo.

Para evitar possíveis conflitos para a autora e para o blog não serão citados os nomes das organizações, assim como os tweets reproduzidos não estão em seu formato original (alterações foram feitas com o uso das letras xx). Mas quem estiver interessado em saber pode correr para o search, ou me perguntar!

Escrever praticamente todos os tweets em caixa alta:

SÁBADO NA XX EM XX O DJ ARGENTINO RICKY RYAN, UM DOS DJS MAIS COBIÇADOS DO MUNDO

Poxa, não grita! Regra número um da internet: escrever em letra maiúscula é sinônimo de estar gritando. Porque falar assim com seus seguidores? O propósito não é fazer com que eles consumam ou utilizem os produtos/serviços que você está oferecendo? Ao menos que essa seja sua abordagem física com eles, no Twitter não é algo elegante de se praticar.

Retuitar todas as mensagens que a marca recebe:

RT @xx Afff…. aqui em Joinville tbém amanheceu muuuuito frio…

Responda apenas para a sua seguidora. Seus followers não precisam saber quantas respostas você teve para a pergunta: “Bom dia, muito frio na sua cidade?”. Além de lotar a timeline não são informações que irão acrescentar a vida deles.

Tentativa de promover os produtos de forma diferente, mas com falta de informação:

Que ótimo saber disso! Aqui também somos louca por sapato! Você já conhece nosso clube de moda?

(não entraremos aqui na questão gramática) Clube? Onde? Quando? Cadê? Não sei, então tenho que responder que não conheço para descobrir como funciona ou onde encontro? Menos 200 pessoas no site que estavam online naquele momento.

Falta de uso de encurtadores de links:

Uauu!! sobrancelhas!!! http://www.chatadegalocha.com/2010/07/meu-passado-me-condena-ou-a-importancia-de-saber-fazer-as-sobrancelhas/

Com tantas formas de se acessar o Twitter (Tweetdeck, Hootsuite, Seesmic…) e com tantas opções para encurtar links (migre.me…) vocês ainda não sabem como aproveitar todos os 140 caracteres?

Linguagem em primeira pessoa:

de qualquer maneira, vou ver com as meninas da marca própria para vermos o que pode ter acontecido nas fórmulas. Bjo

Uma das coisas que mais acho feio é ver marcas falando: “desejo um bom dia”, “eu te ajudo”, “posso te responder”… uma empresa não é feita por uma pessoa, é feita por pessoaS, e todos sabemos disso. Ao menos que ela seja representada por uma figura (diretor, personalidade…) que esteja utilizando seu nome para falar pela organização, não é nada interessante falar assim. Tente usar: “desejamos um bom dia”, “queremos te ajudar”, “podemos”…

Postagens de assuntos conflituosos:

Jesus na Playboy? http://bit.ly/cQbHNR

A marca atende apenas a ateus? Ok, sem problemas. Mesmo que o link não seja de conteúdo próprio, mas pelo simples fato de ter sido citado significa que a marca concorda com isso. Não é uma regra, mas pode causar um desconforto se dentre os mil seguidores quatrocentos sejam muito religiosos e acharam isso ofensivo. Por que correr o risco?

Não aproveitar as ocasiões:

Hoje é o dia da Pizza! Comemorar essa data é uma delícia.

Esse foi o único tweet de uma marca de pizzas no dia que era comemorado justamente o dia da pizza. Com tanta coisa que poderia ter sido falado: sabores, história, sugestão de lugares… esse foi o único comentário na ocasião.

Me dê seguidores que talvez eu te dê um prêmio:

Indiquem @xx! Qdo chegarmos aos 3 mil seguidores, lançamos a promo que vai dar o sapato que a vencedora quiser \o/

Essa é clássica! Para algumas até funciona, seja pelo prestigio da marca ou pelo prêmio. Outras ficam penando dias e até semanas com tweets assim até chegar a tal da meta. Típico procuro quantidade e não prezo pela qualidade.

E para finalizar deixo mais alguns que encontrei e deixo apenas para discussão nos comentários, o que você vê de errado em uma empresa postar isso no Twitter? (sim estes também foram retirados de perfis de empresas)

“=(“

“Obrigada a todas as gatonas que nos indicaram no #followfriday! ;)))) Ficamos muuuuito felizes!”

“É hoje!!! Brasil na Copa!!! Brasil ziu ziu!!!”

“Acabo de completar “Seus olhos “dizem” o que?” e meu resultado foi: Sou inteligente! Experimente:”

“Alguém aí pode fazer uma reza bem forte para o site do sorteio parar de dar erro e funcionar normalmente!?”

“A seleção Brasileira é patrocinada pela XX. Se fosse pela XX, jamais perderíamos para a Holanda”

“Quem não gosta dos nossos refrigerantes é americanizado! XX é BRASIL!”

Sobre o Autor

Fernanda Fabian

Redatora, social media, relações públicas, pesquisadora, adoradora de novas tecnologias, da língua portuguesa e de tudo que atinja a comunicação. Versátil, criativa, estrategista, detalhista, comunicativa. Na medida certa, mas sempre na busca do além, do mais.

9 Comentários

  • Diante dessa pandemia de erros, será que não deveríamos parar de chamar apenas "Fail" e adotar um nome mais escabroso? É inadmissível ver empresas de qualquer porte dando vexames primários nas mídias sociais. Digo de qualquer porte porque se entra, independente do faturamento, de quanto custam as ações, se tem 1 ou 500 funcionários, tem que saber se manter nesses meios sociais virtuais. E se não sabe, busque alguém que conheça e que tenha o mínimo de racionalidade e que saiba se comportar, usando a linguagem adequada, estudando cada passo e assim por diante.
    Fico me perguntando: será que as contas dessas marcas nas mídias sociais são operadas por pessoal da própria empresa sem treinamento e filtro de seleção, ou por agências "especializadas", que contratam alguém pra tomar conta, e não monitoram e supervisionam para ver o que se passa de errado, a fim de se tomar providências de melhorias? Acredito que os dois casos acontecem, mas não descarto a incidência recorrente e absurda desta segunda situação.
    Digo e repito, em caixa alta mesmo – e me desculpe: NÃO SABE LIDAR, ESTÁ PISANDO EM OVOS? PROCURE ALGUÉM QUE SAIBA E QUE TENHA COMPROMISSO COM SUA MARCA; O CUSTO-BENEFÍCIO LHE MOSTRARÁ A RAZÃO.

    Abraços,
    @oPolivalente

    • Isso aí Newton, me faço a mesma pergunta: quem que gerencia essas contas que não tem um mínimo de noção de como lidar com elas?! E esses que citei foram alguns dos milhares e milhares casos… o post ficaria grande demais se colocássemos todos…uma pena mesmo, com tantas coisas que poderiam ser feitas

  • O problema de tudo isso é a falta de inclusão das mídias sociais no planejamento de comunicação online da empresa. O que acontece hoje, é que muitas das empresas citadas acima, estão achando que fazer mkt digital, ou mesmo, fazer parte de uma mídia social, seja lá qual for ela, é apenas criar a conta e sair mandando spam, contar o dia a dia ou coisas bizarras assim.

    Não se define objetivo concreto de comunicacão, não se pensar em target, ou muito menos em monitorar o online. Tudo bem que não existe receita de bolo e nem manual de boas maneiras para o bom uso do microblog twitter. O segredo é planejar, estudar o meio onde se esta entrando, para depois saber como se comunicar de forma condizente com a mídia e o obejtivo da marca.

    Dos exemplos acima, o pior, na minha opinião é: "Me dê seguidores que talvez eu te dê um prêmio" Mais uma vez volto a dizer, porque não pensar em uma forma mais inteligente e planejada de promover a marca. Existem inúmeras mídias sociais, e as marcas, de forma errada, estão tentando usar a timeline do twitter para promover TUDO, para dizer TUDO ao mesmo tempo, e acaba acontecendo isso. Um dos erros que eu também vejo sempre, são empresas usando a timeline do twitter para fazer o SAC. Desenvolver longos dialogos vai causar spam e consequentemente Unfollow.

    Parabéns pelo post e pelas twittadas selecionadas. Queria pedir a permissão para postar no meu blog (www.jogaojob.blogspot.com) uma continuação do mesmo assunto.

    • Oi Edson:
      super autorizado sim o post, e por favor me avise quando fizer essa continuação, ficarei super feliz em comentar lá tbm! :)
      assino totalmente em baixo de tudo o que você falou. Na verdade meus comentários são simples (como o caso de falar tudo em caixa alta – que teoricamente todos já sabem), mas é justamente isso que eu quis mostrar que coisas simples fazem a diferença, e nem mesmo essas tão simples as empresas entendem.

      O planejamento é uma tecla batida por todos nós (aqui no blog tem vários posts sobre o assunto, vale a pena conferir principalmente os da Marisa), deveria ser o básico, o normal fazê-lo antes de tudo. Isso me faz concluir que todos nós que trabalhamos com comunicação digital temos a obrigação de mostrar ainda mais o porque é tão importante assim. Apontar erros como os que citei já é um começo, quem sabe se você chegar em uma dessas empresas e dizer o que está errado e rever suas estratégias já seja meio caminho andado.

      É a prova de que o mercado está aí e precisa de profissionais com criatividade e conhecimento.
      Obrigada pelo seu comentário!!

  • Oi Tarcisio, tks pela visita!

    Pois é, alguns são bem fáceis de identificar, heheheh… isso porque todo mundo comentou sobre esses #fails, mas não poderiam ficar de fora da lista!!

  • Mesmo problema do caso das blogueiras: as empresas acham que sabem fazer e os pseudo profissionais de mídias sociais mais ainda. O que eu vejo de caso de gente que é contratado pra fazer isso só pq sabe mexer no Twitter não tá escrito. E nem é heavyuser, é gente que abre uma conta, dá umas 3 twittadinhas e acha que já sabe. Digo isso por conhecimento de causa, gente que estranhava o fato de eu trabalhar com Internet e meses depois ser contratado por empresas para cuidar "das redes sociais". Quem tá fora desse meio não enxerga que este tipo de ação exige um posicionamento, um planejamento como qq outra campanha publicitária e o mais importante: entender como o funciona a cabeça do internauta e do público que vc quer atingir. O que a gente mais vê é um monte de gente só dando link dos seus produtos e puxando sardinha pro seu lado. Tem também as marcas que entopem a lista tentando se relacionar a qq custo com os usuários, de uma forma digamos, forçada, enquanto outras ainda ficam travadas, uma coisa mecânica, tipo telemarketing (aka vou estar divulgando meus serviços no twitter). É uma linha muito tênue entre você ser gentil com seus consumidores sem ser seco/automático e ser um mala completo como eu tb canso de ver por aí. É tipo a diferença entre ser simpático e efusivo -e é exatamente aí que muitos se perdem.

    Enquanto as empresas não se conscientizarem que é preciso ter PLANEJAMENTO EM MÍDIAS SOCIAIS e que nem todo internauta é social media, vamos esbarrar em fails como esses.

Deixe um comentário